EUA: guarda nacional é mobilizada em Milwaukee após distúrbios violentos

Washington, 15 Ago 2016 (AFP) - Militares da guarda nacional foram mobilizados no domingo pelo governador do Wisconsin na cidade de Milwaukee (centro-norte dos EUA), onde ocorreram confrontos violentos entre manifestantes e a polícia após a morte, pelas forças de segurança de um homem armado que tentava fugir.

Uma multidão indignada apedrejou na noite de sábado carros da polícia e incendiou lojas em protesto contra a morte do jovem.

A polícia informou que precisou dispersar 200 manifestantes e foram ouvidos alguns tiros durante os distúrbios, que terminaram na madrugada deste domingo.

"Em resposta à demanda de David Clarke, comissário do condado de Milwaukee, e após discussões (...), mobilizei a guarda nacional do Wisconsin para que preste assistência às forças de ordem locais", disse o governador do estado, Scott Walker, em um comunicado.

Os militares só serão mobilizados caso a polícia considere necessário, explicou o prefeito de Milwaukee, Tom Barrett.

Dirigindo-se aos familiares dos manifestantes durante uma coletiva de imprensa, no domingo, Barrett destacou: "se você ama seu filho, sua filha, seu neto, digam-lhes que se mantenham à margem do local" onde ocorreram os incidentes. "A situação é muito instável", acrescentou.

O protesto começou, segundo a polícia, depois que duas pessoas interceptadas em seu carro fugiram a pé.

"Na perseguição, um agente abriu fogo contra um suspeito armado com uma pistola semiautomática", que morreu na hora, disse em um comunicado o Departamento de Polícia de Milwaukee (Wisconsin, centro-norte dos Estados Unidos).

Trata-se de Sylville Smith, um homem de 23 anos, com uma ficha criminal volumosa, de acordo com as informações oficiais, ressaltando que a pistola que carregava havia sido roubada em março.

Barrett disse que o suspeito foi atingido por dois tiros, um no peito e outro no braço.

Chamado de alertaNo início do confronto, a multidão ateou fogo a um posto de gasolina, um banco, uma loja de produtos de beleza e outra de peças para carros, noticiou o Milwaukee Journal Sentinel, jornal da cidade localizada 130 km ao norte de Chicago.

Quatro policiais foram hospitalizados brevemente, informou o prefeito.

Às 02h20 locais (04h20 de Brasília), a polícia disse que havia restaurado a ordem e reduzido sua mobilização.

Estes incidentes ocorreram em um contexto de tensões por uma série de mortes nos últimos tempos de negros desarmados em Minnesota e Louisianna.

Estas agressões também desencadearam o assassinato de vários policiais em aparentes atos de represália em cidades como Dallas, no Texas, e Baton Rouge, Louisianna.

O vereador Khalif Rainey, que representa a área de Milwaukee, na qual foram registrados os distúrbios, fez um "chamado de alerta" pela violência.

"A comunidade inteira viu e foi testemunha de como Milwaukee, Wisconsin, se converteu no pior lugar para os americanos negros viverem no país inteiro", disse.

Segundo o prefeito Barrett, 17 pessoas, todas com antecedentes, foram detidas na madrugada de domingo.

O presidente americano, Barack Obama, foi informado da situação, segundo a Casa Branca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos