Mercosul: governo uruguaio irritado por pressão do Brasil

Montevidéu, 16 Ago 2016 (AFP) - O presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, se irritou com o Brasil pelo o que o chanceler uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, definiu como uma tentativa de "comprar o voto do Uruguai" na crise pela passagem da presidência do Mercosul, informou nesta terça-feira o jornal El País.

"Não gostamos muito que o chanceler (José) Serra tenha vindo ao Uruguai nos dizer -ele fez isso publicamente, por isso digo- que pretendiam suspender a passagem e que, se ela fosse realmente suspensa, nos apoiariam em suas negociações com outros países, como se estivesse tentando comprar o voto do Uruguai", disse Nin Novoa.

O comentário de Serra "irritou muito" Vázquez, disse Nin Novoa, segundo a versão taquigráfica de seu comparecimento à comissão de Assuntos Internacionais da Câmara dos Deputados na semana passada, publicada nesta terça-feira pelo jornal El País.

"A Venezuela é o legítimo ocupante da presidência pro tempore e, por isso, quando for convocada a reunião, o governo uruguaio assistirá", afirmou Nin aos deputados, de acordo com o jornal.

O Brasil alega que a Venezuela não cumpriu os requisitos normativos exigidos pelo Mercosul a seus sócios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos