Rio 2016: Polícia retira dois nadadores americanos de dentro do avião

Rio de Janeiro, 18 Ago 2016 (AFP) - A Polícia Federal retirou dois nadadores olímpicos americanos, nesta quarta-feira (17), de dentro do avião em que haviam embarcado para voltar aos EUA, após sua denúncia ainda não confirmada de que foram assaltados por homens armados vestidos de policiais.

"Podemos confirmar que Jack Conger e Gunnar Bentz foram removidos de seu voo para os Estados Unidos por ordem das autoridades brasileiras", disse o porta-voz do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Patrick Sandusky, em nota enviada à AFP.

Os dois nadadores "estão aqui prestando declarações", disse à AFP um porta-voz da polícia civil no aeroporto internacional Tom Jobim, sem dar maiores detalhes.

A juíza Keyla Blank já havia determinado, nesta quarta-feira, que dois nadadores olímpicos americanos permanecessem no país - Ryan Lochte e James Feigen - por suspeita de falsa comunicação de crime.

Segundo a imprensa brasileira, Lochte já abandonou o Brasil.

O Comitê Olímpico dos Estados Unidos não informou o paradeiro dos atletas, mas confirmou que a polícia esteve na Vila Olímpica à procura dos envolvidos.

"A polícia chegou à Vila Olímpica esta manhã (quarta-feira) e pediu para falar com Ryan Lochte e James Feigen para reter seus passaportes com o objetivo de garantir que prestem novos depoimentos".

"A equipe de natação deixou a Vila após o fim de sua participação (...). Além disso, como parte do nosso protocolo de segurança, não informamos publicamente sobre os planos de viagem dos nossos atletas, então não podemos confirmar sua atual localização".

O departamento americano de Estado informou à AFP que soube através da imprensa "que dois atletas americanos foram detidos".

"Estamos prontos para proporcionar toda a assistência consular necessária" aos atletas, afirmou o porta-voz John Kirby, sem dar mais detalhes.

Lochte afirma que ele e seus companheiros Gunnar Bentz, Jack Conger e Jimmy Feigen foram assaltados por homens com uniformes da polícia que detiveram o grupo quando saía de táxi de uma festa na Casa da França, na madrugada de domingo.

Mas a juíza identificou a existência de "possíveis divergências nos depoimentos dos nadadores" e as autoridades estão tentando localizar testemunhas, incluindo o motorista do taxi.

Os atletas mostraram divergências sobre o número de assaltantes e regressaram à Vila Olímpica com seus relógios, celulares e carteiras, como revelam imagens das câmeras de segurança.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos