Bachelet tem nível de aprovação mais baixo desde retorno da democracia no Chile

Santiago, Chile, 19 Ago 2016 (AFP) - O apoio à presidente socialista chilena, Michelle Bachelet, caiu nove pontos e chegou a 15%, o pior registro desde o retorno da democracia após o fim da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) - apontou uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (19).

A pesquisa, do Centro de Estudos Públicos (CEP), a mais confiável do Chile, registrou uma "diferença significativa do ponto de vista estatístico" entre as medições de novembro de 2015 e julho-agosto de 2016. O nível de desaprovação chegou a 66%.

"Os 15% de aprovação são o nível mais baixo obtido por um governo desde o retorno da democracia, e os 66%, o nível de rejeição mais alto", comentou o coordenador de Opinião Pública do CEP, Ricardo González.

O pior registro anterior também corresponde a Bachelet, em agosto de 2015, quando tinha o apoio de 22%. Em seu outro governo (2006-2010), a pior avaliação da presidente foi de 39% em dezembro de 2007, enquanto seu pico de popularidade foi registrado no final de seu mandato, com 78%.

A presidente socialista, que ganhou a reeleição em dezembro de 2013 por mais de 66% dos votos, vê sua popularidade despencar desde fevereiro de 2015, quando estourou o escândalo de corrupção envolvendo seu filho mais velho e sua nora.

Os dois são investigados por tráfico de influência e pelo uso de informação privilegiada na compra e venda de terrenos no sul do Chile.

A pesquisa do CEP mostrou que o ex-presidente Sebastián Piñera (2010-2014) lidera as preferências para as próximas eleições presidenciais de 2017, seguido do também ex-presidente Ricardo Lagos (2000-2006).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos