Nice também proíbe burkini

Paris, 19 Ago 2016 (AFP) - A prefeitura de Nice, cidade francesa atingida em julho por um atentado em que que 85 pessoas morreram, anunciou nesta sexta-feira que proibiu o burkini em suas praias, seguindo o exemplo de outras cidades costeiras apesar da polêmica provocada pela medida.

Após Cannes, que proibiu o traje em 28 de julho, várias localidades do sudeste, mas também do norte da França, emitiram ordens contra o uso da vestimenta de banho, que oculta todo o corpo, menos o rosto, as mãos e os pés.

"A ocultação integral do rosto ou trajar uma roupa de corpo integral para ir à praia não corresponde ao nosso ideal de relação social", escreveu Christian Estrosi em seu comunicado ao executivo francês.

O primeiro-ministro Manuel Valls considerou na quarta-feira que o surgimento recente do burkini era "a tradução de um projeto político, de contra-sociedade, baseado na escravidão da mulher".

Ele afirmou que "compreende" e "apoia" os prefeitos de estações balneárias como Cannes que, em um contexto de atentados jihadistas e aumento das tensões inter-religiosas, proibiram este traje.

O Coletivo contra a Islamofobia na França anunciou que ia contestar na justiça todas as decisões municipais que proíbam o uso do burkini.

vxm-jp/chp/aoc/jz/mr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos