Hillary responderá por escrito sobre o caso dos e-mails

Washington, 20 Ago 2016 (AFP) - A candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, poderá responder por escrito a uma demanda judicial pelo uso de um servidor particular de correio eletrônico quando era secretária de Estado.

Em uma resolução de duas páginas emitida na sexta-feira pelo juiz Enmet Sullivan desistiu que obrigar Hillary a prestar depoimento em pessoa no processo aberto pelo grupo conservador Judicial Watch.

A candidata democrata conta com 30 dias para responder às perguntas do Judicial Watch sobre o uso de um servidor não autorizado enquanto era chefe da diplomacia americana.

No início de julho, a secretária de Justiça, Loretta Lynch, decidiu não apresentar acusações contra Hillary pelo uso do servidor privado, depois que o FBI recomendou arquivar o caso.

No entanto, o diretor do FBI, James Comey, disse que, apesar de não haver evidências de que Hillary ou seus assessores houvessem violado a lei, "foram extremamente descuidados na condução de informações sensíveis e altamente sigilosas".

Hillary pediu desculpas pelo uso do servidor particular enquanto estava à frente do departamento de Estado entre 2009 e 2013.

Seus opositores argumentam que o não cumprimento das regras de proteção de documentos sigilosos contra um ataque cibernético pode representar um crime.

ch-bur/hmw/lp/yow/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos