Militantes atacam Universidade Americana do Afeganistão

Cabul, 24 Ago 2016 (AFP) - Explosões e disparos foram ouvidos nesta quarta-feira no interior da Universidade Americana do Afeganistão, e há funcionários, estudantes e outras pessoas presas dentro das salas de aula.

Nenhum grupo até o momento reivindicou a responsabilidade do ataque, que acontece duas semanas depois que dois professores universitários - um americano e um australiano - foram sequestrados perto da universidade.

"Estamos presos dentro da minha sala de aula com outros estudantes. Ouvi explosões e disparos perto daqui", informou um estudante à AFP por telefone.

"Estamos presos e com muito medo", acrescentou.

"Muitos estudantes foram evacuados", informou Sediq Sediqqio, do ministério do Interior, acrescentando que há informações que alguns reféns foram levados pelos atacantes.

"Não temos certeza do número de agressores, mas nossas forças especiais começaram a operação de limpeza", acrescentou.

Dezenas de soldados isolaram a área depois que o ataque começou no centro de ensino, que é geralmente frequentado por muitos profissionais que fazem cursos de meio período.

Outros estudantes presos postaram várias mensagens no Twitter com pedidos de socorro.

Entre eles, está o fotojornalista da Associated Press e prêmio Pulitzer, Massud Hossaini.

"#AUAF sob ataque. Eu e meus amigos escapamos e muitos outros amigos e professores ficaram presos", tuitou outro jornalista atuante em Cabul, Ahmad Mukhtar.

Um hospital da capital também tuitou que ao menos cinco pessoas ficaram feridas e se encontram em tratamento.

O ataque, que evidencia os problemas de segurança no Afeganistão, também acontece quando os talibãs deram início a sua temporada de ataques contra o governo de Cabul, que é apoiado pelos Estados Unidos.

Uma fonte da defesa americana informou que os militares de seu país estão atuando como conselheiros de seus pares afegãos nessa crise.

Ofensiva talibãA diretoria da Universidade Americana do Afeganistão, que abriu em 2006 e possui mais de 1.700 estudantes, ainda não foi contatada.

Professores estrangeiros da universidade foram sequestrados em 7 de agosto por homens que o forçaram a deixar seu carro sob a mira de uma arma.

Aparentemente, este foi o primeiro sequestro ocorrido com funcionários de uma universidade particular no Afeganistão.

A capital afegã está infestada de grupos criminosos organizados que utilizam sequestros para obter resgates, geralmente visando a estrangeiros e afegãos com posses, e às vezes os repassam para grupos insurgentes.

Com a intensificação da violência no país, as forças afegãs, apoiadas por tropas americanas, tentam impedir que os talibãs assumam o controle de Lashkar Gah, capital da província de Helmand, região do sudeste rica em ópio.

Uma bomba na beira da estrada matou um soldado americano na terça-feira perto desta cidade, e deixou outro americano e soldados afegãos feridos, segundo a Otan.

Os talibãs também se aproximam de Kunduz - cidade do nordeste que eles dominaram por algum tempo no ano passado, em sua maior vitória militar até então -, deixando as forças afegãs encurraladas em vários fronts.

Mas as forças da coalizão garantem que nem Kunduz nem Lashkar Gah correm o risco de cair em mãos insurgentes.

ds-ac/aph/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos