Moscou e Washington 'abrem caminho' para trégua na Síria

Genebra, 26 Ago 2016 (AFP) - Estados Unidos e Rússia conseguiram "abrir caminho" para um cessar-fogo na Síria, mas as modalidades práticas ainda não foram definidas, informou nesta sexta-feira, em Genebra, o secretário americano de Estado, John Kerry.

"Conseguimos abrir caminho" rumo à suspensão dos combates, afirmou o chefe da diplomacia americana aos jornalistas após uma longa reunião com o chanceler russo, Sergueï Lavrov.

O chefe da diplomacia russa afirmou que "acordos substanciais foram obtidos", mas "certos elementos ainda precisam ser definidos".

Kerry precisou que os dois países ainda não estão prontos para um anúncio definitivo, acrescentando que os especialistas prosseguem trabalhando, em Genebra, para acertar os pontos pendentes.

"Trabalhamos nestas questões", disse Kerry. "Nenhum dos dois está pronto para fazer um anúncio que seja seguido de fracasso. Não queremos chegar a um acordo apenas para ter um acordo".

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, se incorporou nesta sexta-feira às conversações, que começaram pela manhã em um hotel situado às margens do lago Leman.

Staffan de Mistura declarou na quinta-feira que a reunião entre Kerry e Lavrov teria um "verdadeiro impacto nas iniciativas políticas da ONU para reativar o processo político na Síria".

O enviado da ONU manifestou a esperança de poder levar as partes envolvidas no conflito à mesa de negociações até o final do mês, uma possibilidade que parece pouco provável diante do prosseguimento dos combates.

Moscou e Washington têm o grupo jihadista Estado Islâmico como inimigo comum, mas a Rússia apoia política e militarmente o regime em Damasco, enquanto os Estados Unidos defendem a oposição síria, que exige a saída do presidente Bashar al Assad.

A reunião desta sexta coincide com a operação militar da Turquia contra o norte da Síria, visando o Estado Islâmico e também as forças curdas.

Em um sinal de sua vontade de cooperar com os Estados Unidos, a Rússia anunciou, na quinta-feira, que está disposta a conversar com Washington sobre o relatório da ONU que acusa o regime em Damasco de utilizar armas químicas.

O relatório também acusa o EI de utilizar armas químicas.

EUA e Rússia presidem o grupo de trabalho da ONU para ajuda humanitária na Síria, que tenta socorrer civis nas zonas sitiadas do país.

De Mistura anunciou na quinta-feira que a Rússia aceitou a trégua semanal de 48 horas, proposta pela ONU, para que os comboios de ajuda entrem na cidade de Aleppo, mas destacou que as outras partes ainda não se manifestaram.

nl-bs/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos