Desemprego e inflação permanecem estáveis na zona euro

Bruxelas, 31 Ago 2016 (AFP) - O desemprego se manteve estável em julho na zona euro, em 10,1%, o nível mais baixo registrado desde julho de 2011, anunciou o escritório de estatísticas Eurostat.

A inflação também permaneceu sem alterações, a 0,2% anual, referente a agosto.

Os analistas esperavam um desemprego em torno dos 10% e uma inflação da ordem de 0,3%, segundo o Facset, consultoria de serviços financeiros.

A inflação fica assim muito afastada do objetivo fixado pelo Banco Central Europeu (BCE), de uma alta de preços anual de até um máximo de 2%, nível considerado benéfico para a atividade econômica.

No referente ao emprego, apesar de ser o mais baixo registrado desde julho de 2011, continua acima da média do desemprego durante o período compreendido entre 1999 e 2007, antes de explodir a crise na zona euro (8,8%).

"Um índice de inflação estancado e os sinais de um mercado de trabalho hesitante devem impulsionar o BCE a adotar novas ações", afirma Howard Archer, analista do IHS Markit

De fato, os dois dados devem aumentar a pressão sobre o BCE para que tome novas medidas para estimular a atividade de crédito e reativar o crescimento e a inflação na zona euro.

A próxima reunião de política monetária do BCE está prevista para 8 de setembro.

Em relação ao emprego, subsistem fortes disparidades entre os países que adotaram a moeda única. Os mais índices de desemprego em julho foram registrados em Malta (3,9%) e na Alemanha (4,2%).

O desemprego mais elevado acontece na Grécia (23,5% em maio de 2016, última cifra disponível) e na Espanha (19,6%).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos