EUA denunciam recrutamento de crianças soldados no Sudão do Sul

Washington, 31 Ago 2016 (AFP) - Os Estados Unidos expressaram nesta quarta-feira (31) seu horror diante dos relatos de que o governo do Sudão do Sul está recrutando crianças como soldados para lutar na guerra civil e advertiu que esses funcionários poderiam enfrentar sanções.

Os EUA foram um dos países que mais apoiou e patrocinou a criação do novo Estado da África, que conseguiu sua independência do Sudão em 2011, mas desanimou diante da violência e do caos em que se afundou.

No início do mês, a Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) advertiu que todas as facções que participam da guerra civil estão recrutando crianças para lutar, incluindo as forças do presidente Salva Kiir.

O porta-voz do Departamento de Estado americano, John Kirby, disse nesta quarta-feira que seu país está "profundamente alarmado" com os relatos e que o uso de crianças soldados "seria uma das principais prioridades".

"Passando por cima dos nossos chamados de pôr fim à violência no Sudão do Sul, insistimos que encerrem imediatamente o recrutamento e uso de crianças soldados por parte das forças do governo e da oposição", assinalou.

Cerca de 16.000 crianças foram recrutadas por grupos armados - incluindo o exército nacional - desde o início da guerra civil em 2013, segundo dados da Unicef.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos