Erdogan adverte que não permitirá 'corredor do terror' na Síria

Ancara, 2 Set 2016 (AFP) - O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, declarou na noite desta quinta-feira que a Turquia não permitirá que as milícias curdas no norte da Síria formem um "corredor do terror" na fronteira com seu país.

"Agora mesmo, eles dizem que vão se retirar para o leste, mas afirmamos que não fizeram isto, não cruzaram", disse Recep Tayyip Erdogan durante um discurso no Aeroporto de Ancara, em referência à milícia curda do YPG (Unidades de Proteção do Povo Curdo), que Ancara chama de grupo "terrorista".

"Ninguém pode esperar que vamos permitir a criação de um corredor do terror. Não vamos permitir", afirmou Erdogan em um discurso pronunciado no Aeroporto de Ancara, em referência à tentativa de grupos armados curdos de unir três zonas sob seu controle no norte da Síria.

Há uma semana, o Exército turco lançou uma ofensiva contra o norte da Síria, denominada "Escudo do Eufrates", cujo objetivo é combater o grupo Estado Islâmico (EI) e também as milícias curdas, impedindo a formação de uma região autônoma contínua de um extremo ao outro da fronteira.

Na quarta-feira, a Turquia desmentiu ter aceito uma trégua, promovida pelos Estados Unidos, com os rebeldes curdos.

Para Ancara, as milícias curdas da síria são uma vertente do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), ilegal na Turquia, que desde 1984 leva a cabo uma sangrenta revolta contra o Estado turco.

O PKK é considerado uma organização "terrorista" pela União Europeia e os Estados Unidos.

Recuo do EIO Exército turco anunciou nesta quinta-feira que expulsou o EI de três localidades no norte da Síria, como parte da operação "Escudo de Eufrates".

"Os povoados de Zavgar, Tell El Agbar e Al Kulliyeh ficaram limpos de elementos terroristas", anunciou o Exército em um comunicado divulgado pela agência estatal Anadolu.

A aviação turca bombardeou 15 objetivos em Al Kulliyeh e em Zavgar, na região de Jarablos, perto de suas fronteiras e recentemente arrebatada pelos extremistas em uma operação relâmpago de rebeldes apoiados por Ancara.

Além disso, o Exército turco procedeu com operações de remoção de minas na cidade síria de Jarablos, provocando importantes explosões, constatou um fotógrafo da AFP.

Segundo a emissora de televisão turca NTV, os primeiros moradores de Jarablos começavam a retornar nesta quinta-feira, enquanto as forças turcas iniciavam a construção de um muro entre essa cidade e Karkamis, na fronteira síria, para impedir incursões no território turco.

Suspeita-se que os extremistas do EI tenham deixado grande quantidade de minas e explosivos plantados nas proximidade de Jarablos, que as equipes procuram desativar ou destruir há vários dias.

No total, o Exército já destruiu 213 artefatos explosivos artesanais desde o início da operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos