Universidade de Georgetown facilitará admissões de descendentes de escravos

Washington, 1 Set 2016 (AFP) - A Universidade de Georgetown anunciou nesta quinta-feira uma série de medidas para compensar os lucros que teve com a venda de 300 escravos no século XIX, concedendo vantagens a seus descendentes para se matricular nela.

O reitor da Georgetown, John Degioia, anunciará os passos a seguir em um discurso e dará uma desculpa formal.

A compensação inclui renomear os prédios da universidade em homenagem aos escravos, a criação de um novo instituto para o estudo da escravidão e a construção de um memorial em homenagem aos escravos cujo trabalho beneficiou o campus.

Georgetown, uma universidade jesuíta fundada em 1789 em Washington DC, é uma as mais antigas dos Estados Unidos.

Outra universidades americanas - incluindo Brown, Columbia e Harvard - admitiram seus vínculos com o tráfico de esclavos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos