Cachorro é retirado de escombros 9 dias após terremoto na Itália

Roma, 3 Set 2016 (AFP) - Um golden retriever chamado Romeo é o último sobrevivente do terremoto de 24 de agosto na Itália, resgatado milagrosamente depois de passar mais de nove dias sob os escombros da casa em que vivia com seus donos.

Protegido por uma viga de metal que sustentava os escombros da casa destruída, o cão não sofreu nenhum ferimento. Aparentemente tranquilo e despreocupado, Romeo bebeu suas primeiras gotas d'água em 230 horas da garrafa segurada por um dos bombeiros que o salvaram.

Diferentemente de seus donos, que estavam emocionados e chocados, o cão desceu da montanha de escombros despreocupado, cheirou ao redor para reconhecer o local e encarou os presentes como se acabasse de acordar de uma soneca rápida.

No momento do tremor, ocorrido na madrugada de 24 de agosto, os donos da casa localizada na pequena aldeia medieval de San Lorenzo a Flaviano, perto de Amatrice, dormiam no segundo andar e conseguiram sair, mas Romeo, que estava no primeiro andar, ficou preso entre os escombros. Depois de passar horas a sua procura, seus donos concordaram em ser evacuados do local, devastado pelo terremoto.

Sem nenhuma esperança de encontrá-lo vivo, o casal voltou na noite de sexta-feira acompanhado dos bombeiros para tentar recuperar alguns pertences em meio às ruínas da casa. Ao ouvir suas vozes, o cachorro começou a latir.

Os bombeiros começaram a retirar os escombros e retiraram o animal, que não parecia particularmente traumatizado com a experiência.

- Leo em audiência com o Papa -Desde a noite do dia do terremoto, nenhum sobrevivente humano foi encontrado. A última foi a pequena Giorgia, de quatro anos, salva por outro herói canino, Leo.

O labrador, que trabalha com a polícia nas buscas, foi premiado com uma audiência com o Papa neste sábado, dois dias depois de se tornar o convidado de honra da cúpula entre o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, e a chanceler alemã, Angela Merkel.

O balanço do pior terremoto ocorrido na Itália desde o desastre de L'Aquila em 2009 se situa em 294 mortos após a descoberta de um corpo em Casale, pequeno povoado perto de Amatrice, onde ocorreram três quartos das mortes.

É possível que o número final alcance as 300 vítimas fatais.

Neste sábado, as operações de retirada dos escombros avançaram significativamente, com a reabertura de uma ponte na principal estrada que leva a Amatrice.

Enquanto isso, centenas de pessoas que ficaram desabrigadas seguem dormindo em barracas. O encarregado da reconstrução prometeu neste sábado que as pessoas terão suas casas reconstruídas "em sete meses".

Os produtores de gado da organização Coldiretti afirmaram que o leite das vacas sobreviventes está sendo utilizado para fazer queijo "caciotta". Os primeiros queijos foram vendidos em um mercado de Roma neste sábado para coletar fundos para ajudar os fazendeiros da zona afetada pelo terremoto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos