Tanques turcos entram na Síria abrindo novo front

Ancara, 3 Set 2016 (AFP) - A Turquia enviou neste sábado (3) duas dezenas de tanques ao norte da Síria para lutar contra os extremistas do Estado Islâmico (EI), abrindo um novo front após sua intervenção no mês passado contra o grupo - informaram meios de comunicação estatais turcos.

Os veículos de combate cruzaram a fronteira a partir da cidade turca de Kilis e entraram no povoado sírio de Al-Rai para apoiar militarmente os combatentes rebeldes sírios, relatou a agência estatal turca Anatolia.

Ao menos 20 tanques, cinco blindados de transporte de tropas, caminhões e outros veículos blindados cruzaram a fronteira, disse a agência privada Dogan.

Durante essa nova operação terrestre, foram disparados morteiros contra vários alvos do EI, segundo a mesma fonte.

Nos últimos meses, Al-Rai mudou várias vezes de mãos entre os rebeldes e o EI.

Iniciada em 24 de agosto contra o grupo extremista e contra as milícias curdas, a ofensiva "Escudo de Eufrates" é a operação mais ambiciosa já lançada pela Turquia em cinco anos e meio de conflito, apoiando-se no uso de tanques, aviões de combate e forças especiais para ajudar os rebeldes pró-Ancara.

O enviado especial do presidente americano, Barack Obama, contra o Estado Islâmico, Brett McGurk, anunciou no Twitter que os Estados Unidos estacionaram uma nova bateria de mísseis perto da fronteira e que, na madrugada de sábado, foram lançados projéteis contra alvos extremistas em território sírio.

Ahmed Othman, um comandante do grupo rebelde pró-turco Sultan Murad, disse à AFP que seu grupo estava atualmente "se posicionado em duas frentes em Al-Rai - ao sul e ao leste do povoado - para poder avançar para as localidades que foram liberadas do EI, a oeste de Jarabulus".

Segundo Othman, essa é a primeira fase em seus planos: "queremos limpar a fronteira entre Al-Rai e Jarabulus de (combatentes do) EI antes de avançar para o sul, para Al-Bab (o último reduto do grupo extremista na província de Aleppo) e para Manbij", controlada pelas forças pró-curdas (YPG).

Após o êxito alcançado nessa localidade, os curdos querem avançar e unir dois de seus "cantões", Kobane e Afrin, no norte da Síria.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse na sexta-feira (2) que a Turquia não permitirá a criação de um "corredor do terror".

Rebeldes pró-Ancara avançamO governo turco considera as YPG uma organização terrorista vinculada aos rebeldes curdos no sudeste da Turquia, mas foram os Estados Unidos que treinaram e equiparam esse grupo.

A intervenção turca no fim de agosto complicou ainda mais a emaranhada rede de grupos no conflito sírio, ao colocar Ancara e Washington em lados opostos dos que tentam derrotar o EI.

Em apenas 14 horas, no dia 24 de agosto, os rebeldes sírios apoiados por Ancara recuperaram o controle da cidade fronteiriça síria de Jarabulus do EI e continuaram avançando posições.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), esses rebeldes tomaram neste sábado outras três localidades próximas à fronteira com a Turquia: duas na frente de Jarabulus, e outra, na nova frente de Al-Rai.

Na sexta-feira (2), bombardeios turcos destruíram três edifícios usados pelo EI em volta dos povoados de Kunduriyah e Izzah, cerca de 30 km a oeste de Jarablos, segundo um comunicado do Exército.

De acordo com a mesma fonte, os rebeldes também controlavam a zona ao redor de Kunduriyah.

O Exército turco lançou ainda ataques aéreos contra as YPG ao norte de Manbij.

Enquanto isso, na Turquia, 13 soldados e um agente de segurança morreram em três ataques distintos no leste e no sudeste do país, em confrontos com rebeldes curdos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos