Blogueiro pode ser alvo de novas acusações na Rússia por jogar Pokémon Go em igreja

Moscou, 6 Set 2016 (AFP) - A Rússia ameaça apresentar novas acusações contra um blogueiro, que já enfrenta o risco de uma pena de cinco anos de prisão por ter se filmado jogando Pokémon Go em uma igreja.

Ruslan Sokolovsky, morador da cidade de Ekaterimburgo, nos Urais, foi acusado de ofensa às crenças religiosas e incitação ao ódio por um vídeo publicado no YouTube e visto um milhão de vezes.

Nesta terça-feira, os investigadores anunciaram que em uma busca em sua casa e escritório encontraram uma "caneta espiã" para fazer gravações secretas, crime pelo qual o blogueiro pode ser condenado a outros quatro anos de prisão.

O jovem de 21 anos está detido há dois meses e decidiu apelar de sua prisão.

Sokolovsky se filmou na Igreja de Todos os Santos de Ekaterimburgo, construída no lugar onde foi erguida a casa onde os bolcheviques mataram em 1918 o último czar da Rússia, Nicolau II, e sua família.

O caso desperta interesse na Rússia, onde é comparado ao das Pussy Riot, o grupo de música punk cuja apresentação em uma igreja de Moscou em 2012 valeu as suas integrantes penas de prisão.

A procuradoria russa apresentou acusações contra Sokolovsky amparando-se na legislação adotada após o julgamento das Pussy Riot, que permite processar criminalmente aqueles que ofendem as crenças.

O blogueiro cria vídeos nos quais expõe sua visão ateia e publica um magazine chamado "Nada é Sagrado".

O caso foi aberto depois que Sokolovsky publicou um vídeo em 11 de agosto no qual caça Pokémons com seu telefone celular diante de um altar dizendo palavrões e comparando Jesus com um Pokémon.

Sokolovsky se recusou a depor amparando-se em seu direito constitucional, segundo os investigadores.

O porta-voz da igreja ortodoxa russa, Vladimir Legoida, escreveu no Facebook que Sokolovsky "não era um pedestre", mas que "trabalha ao estilo da Charlie Hebdo, isso é provocação deliberada", em referência à revista satírica francesa que publicou caricaturas do profeta Maomé.

A Anistia Internacional pediu que a Rússia liberte imediatamente Sokolovsky, classificando as acusações contra ele de absurdas.

Várias autoridades russas também pediram que Sokolovsky seja solto.

O prefeito de Ekaterinburgo, o opositor Yevgeny Roizman, escreveu no Facebook: "Isso é bárbaro. O homem provocou, mas não se pode prender alguém por ter sido estúpido".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos