China adverte novos deputados de Hong Kong que não militem pela independência

Hong Kong, 6 Set 2016 (AFP) - A China advertiu os novos deputados de Hong Kong que não devem militar pela independência, após a entrada de jovens partidários da ruptura com Pequim no "Parlamento" da ex-colônia britânica.

No domingo, pela primeira vez, cinco candidatos que pedem a independência ou a autonomia do pequeno território do sudeste da China foram eleitos para o Conselho Legislativo (LegCo).

Esta foi a principal eleição desde o fracasso das manifestações pró-democracia de 2014 que não resultaram em nenhuma concessão de Pequim em termos de reformas políticas.

Em um comunicado, Pequim adverte que não vai tolerar que se fale de independência dentro e fora do LegCo.

"Nos opomos com veemência a qualquer atividade que faça referência à independência de Hong Kong sob qualquer forma, dentro ou fora do Conselho Legislativo, e damos nosso firme apoio ao governo de Hong Kong para que imponha sanções de acordo com a lei", destacou a agência estatal Xinhua, que citou um porta-voz do gabinete de assuntos de Hong Kong e Macau do governo chinês.

Alguns candidatos utilizaram a eleição como plataforma para "promover abertamente" a independência, acusou a agência, o que é contrário às Constituições da China e de Hong Kong.

"Também é contrário aos interesses fundamentais de todos os habitantes de Hong Kong", completa.

As eleições foram marcadas por uma participação recorde desde a transferência da soberania em 1997.

A votação aconteceu no momento em que muitos cidadãos de Hong Kong têm o sentimento de que Pequim deseja reforçar o controle sobre a ex-colônia britânica em vários aspectos.

dca-lm/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos