Escândalo médico abala comissão do prêmio Nobel de Medicina

Estocolmo, 6 Set 2016 (AFP) - Dois membros da comissão que concede o prêmio Nobel de Medicina deverão entregar o cargo por envolvimento em um escândalo de erros médicos, revelou nesta terça-feira um de seus membros.

"A crise de confiança é tal (...) que vamos pedir que abandonem a comissão do Nobel", explicou o secretário-geral do organismo, Thomas Perlmann, à agência sueca TT.

Harriet Wallberg, ex-decana do Instituto Karolinska (KI), e seu sucessor, Anders Hamsten, que fazem parte dos 50 membros da comissão do Nobel, estão envolvidos no escândalo do cirurgião italiano Paolo Macchiarini, que realizou em 2011 o primeiro transplante de traqueia sintética coberta com células-tronco.

Macchiarini fez três transplantes em Estocolmo e dois dos pacientes morreram, enquanto o terceiro teve que permanecer sob tratamento durante anos.

Harriet Wallberg era decana do Instituto Karolinska quando Macchiarini foi contratado. Anders Hamsten é acusado de ter reagido tardiamente, ignorando a gravidade da situação.

Várias investigações concluíram que as práticas do cirurgião italiano não respeitavam regras médicas e éticas fundamentais.

A polícia sueca investiga Macchiarini por homicídio culposo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos