Goldman Sachs proíbe seus sócios fazer doações à campanha de Trump

Nova York, 7 Set 2016 (AFP) - A Goldman Sachs proibiu seus sócios de doarem dinheiro a algumas campanhas eleitorais, entre elas a do republicano Donald Trump, segundo um documento interno consultado nesta quarta-feira pela AFP.

A campanha do magnata entrou na lista de casos proibidos depois de que uma norma de 2010, que buscava bloquear as doações a funcionários estatais e locais que possam influenciar nas concessões de investimentos do governo, segundo o documento, datado 29 de agosto.

O texto proibiu as doações à campanha de Trump porque seu fórmula vice-presidencial, Mike Pence, é o governador do estado de Indiana.

A restrição não inclui a democrata Hillary Clinton, que não ocupa nenhum cargo público, nem seu companheiro de chapa e candidato à vice-presidência, o senador Tim Kaine, da Virgínia.

lo-jmb/sg/md/jb/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos