Encontrado vínculo entre atentado frustrado em Paris e outros ataques extremistas

Paris, 9 Set 2016 (AFP) - O grupo de mulheres preso na quinta-feira na França, suspeito de planejar um atentado, teria vínculo com outros ataques anteriores no país, dirigidos contra um padre e dois policiais, e seriam "guiadas" por extremistas do EI da Síria, declarou nesta sexta-feira o procurador de Paris, François Molins.

Uma das três mulheres presa nos arredores da capital francesa, Sarah H., de 23 anos, era namorada do extremista que degolou os policiais em junho, em Magnanville, próximo de Paris, e depois, do autor do ataque em uma igreja do noroeste da França em julho, explicou Molins. Mohammed Lamine A., um homem de 22 anos, também preso na quinta-feira, é o "irmão" de uma pessoa formalmente acusada e presa no auge da investigação do atentado de Magnanville.

"A organização terrorista utiliza não só homens, mas também mulheres, mulheres jovens, que chegam a conhecer e desenvolver seu projeto de maneira virtual", declarou Molins durante uma coletiva de imprensa, onde informou sobre a investigação aberta após encontrarem, no último domingo, um carro carregado com bujões de gás em Paris.

nal-sde/gd/gj/mt/lmm-jvb/jz/cb

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos