Pentágono nega participação dos EUA na morte de chefe rebelde sírio

Washington, 9 Set 2016 (AFP) - O Pentágono negou nesta sexta-feira (9) que tenha tido um papel no óbito do comandante da maior coalizão rebelde síria, morto em um ataque aéreo perto de Aleppo.

Aparentemente, Abu Omar Saraqeb faleceu junto com outros líderes rebeldes que estavam reunidos com ele na noite de quinta-feira (8).

Saraqeb liderava a ex-Frente Al-Nosra, associada à rede Al-Qaeda, cujo novo nome é Frente Fateh al-Sham.

"Não foi um ataque dos EUA", descartou o porta-voz do Pentágono, capitão Jeff Davis.

"O que aconteceu ali não foi algo feito pelos militares americanos", acrescentou.

A coalizão liderada por Washington lança bombardeios diários no norte da Síria, mas seu alvo é o grupo Estado Islâmico (EI). Os EUA dizem se manter à margem dos violentos choques de Aleppo, onde russos e forças governamentais sírias enfrentam os rebeldes.

"Não temos nenhuma razão para estar em Aleppo, não é onde o EI está", afirmou Davis.

Um oficial da Defesa americana disse depois à AFP que a Rússia é o "principal suspeito" do ataque.

wat-lby/sg/ja/fj/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos