Kerry: plano EUA-Rússia "pode ser a última chance de salvar a Síria"

Washington, 12 Set 2016 (AFP) - O secretário de Estado americano, John Kerry, pediu nessa segunda-feira às partes do conflito na Síria que respeitem o cessar-fogo acordado entre Estados Unidos e Rússia, alertando que esta pode ser a última chance para salvar o país.

Poucas horas depois de a trégua ter entrado em vigor, Kerry disse que ela deve ser respeitada a manter as esperanças de um acordo político, que considera ser o único caminho para pôr fim à guerra.

"Achamos que a única solução realista e possível para o conflito é, no fim das contas, uma solução política", insistiu Kerry diante da imprensa. Opinou que era "muito cedo para tirar conclusões" sobre a trégua em vigor há algumas horas na Síria.

"Peço a todas as partes que apoiem (a solução política) porque pode ser a última chance que temos de salvar uma Síria unida", defendeu o chefe da diplomacia americana, que dedica todos seus esforços nas últimas semanas da administração do presidente Obama a tentar relançar um processo diplomático para a Síria.

As armas se silenciaram na noite da segunda-feira na Síria com a entrada em vigor de uma trégua propiciada por Moscou e Washington, a enésima tentativa de pôr fim a cinco anos de um conflito devastador.

Kerry pediu que "a ajuda humanitária comece a chegar" às zonas de conflito, sobretudo a Aleppo, a grande cidade-símbolo, dividida e sitiada, do norte da Síria.

O secretário de Estado elogiou a "redução da violência" desde a entrada em vigor da trégua às 13h00 (Brasília), embora tenha denunciado "combates aqui e lá".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos