Líder de extrema-direita critica invasão de muçulmanos na Austrália

Sydney, 14 Set 2016 (AFP) - A polêmica líder da extrema-direita australiana Pauline Hanson afirmou nesta quarta-feira que a Austrália corre perigo de ser inundada por muçulmanos.

Vinte anos depois de dizer que a Austrália corria o risco de ser invadida por asiáticos, Hanson usou seu primeiro discurso como senadora no Parlamento depois de reeleita em julho para declarar: "Eu voltei".

"Agora corremos o risco de sermos inundados por muçulmanos, que trazem uma cultura e uma ideologia que é incompatível com a nossa", acrescentou.

"O Islã não pode ter uma presença significativa na Austrália se quisermos viver numa sociedade aberta, secular e coesa", disse ainda.

O líder do Partido Verde, Richard Di Natale, abandonou o plenário junto com seus colegas de partido durante o discurso de Pauline.

"Racismo não tem lugar no Parlamento, mas é o que acabamos de ouvir da Senadora Hanson. Eu me solidarizo com as pessoas magoadas por suas palavras", tuitou.

O partido Uma Nação de Pauline Hanson ganhou quatro cadeiras no Senado com uma violenta campanha xenófoba nas eleições de julho, um retorno que surpreendeu a todos depois que as visões populistas da congressista quase causaram um mal-estar diplomático com a Ásia nos anos 1990.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos