Chile retirará seus capacetes azuis do Haiti após 13 anos em missão de paz

Santiago, 17 Set 2016 (AFP) - O Chile retirará em 2017 seus capacetes azuis que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) após 13 anos de colaboração, e enviará estas tropas a outras operações de paz.

A presidente chilena, Michelle Bachelet, decidiu pela retirada das tropas a partir do próximo abril, a qual demorará entre três e seis meses, informou o ministro da Defesa, José Antonio Gómez, em declarações divulgadas neste sábado pelo jornal El Mercurio.

"Esta decisão já foi comunicada oficialmente às Nações Unidas, portanto, já demos a ordem de retirada", informou Gómez.

O Chile foi um dos primeiros países a atender ao chamado da ONU para enviar capacetes azuis para pacificar o Haiti após a queda do ex-presidente Jean Bertrand Aristide, em 2004.

As Forças Armadas chilenas têm atualmente cerca de 340 oficiais em campo, mais 47 pilotando helicópteros, 11 oficiais policiais e 5 oficiais no quartel general da Minustah, os quais serão transferidos a outros países.

"Hoje temos oficiais na República Centro-Africana; para aumentar nossa colaboração estamos conversando com a Argentina para levar uma companhia de engenheiros conjunta", explicou Gómez.

A ONU espera que o Haiti continue se estabilizando paulatinamente em termos sociais e políticos para retirar os mais de 2.300 capacetes azuis que se encontram lá e substituí-los por policiais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos