Explosão em Nova York foi ato terrorista sem vínculos internacionais

Nova York, 18 Set 2016 (AFP) - A explosão de uma bomba em Nova York, que feriu 29 pessoas e provocou danos significativos, estava sendo investigada neste domingo como um ato terrorista, embora as autoridades afirmem que não há conexões internacionais.

A explosão foi registrada no bairro Chelsea, um dos mais elegantes de Manhattan, repleto de bares, restaurantes, e prédios residenciais luxuosos, na noite de sábado por volta das 20h30 locais (22h30 de Brasília).

Posteriormente a polícia encontrou uma segunda bomba a quatro quadras de distância, que foi desarmada com segurança e levada para análises.

O ataque colocou Nova York em alerta, apenas um dia antes da chegada de líderes mundiais à cidade para a Assembleia Geral das Nações Unidas.

Somou-se a este incidente a reivindicação neste domingo pela agência de notícias Amaq, ligada a jihadistas, de um ataque com faca realizado em um centro comercial de Minnesota que deixou oito feridos no sábado. Segundo a agência, o ataque foi lançado por um "soldado" do grupo Estado Islâmico.

A polícia local informou que o autor do ataque em Minnesota "fez algumas referências a Alá", mas a motivação de seu ato não estava clara. O homem foi baleado por um policial que estava fora de seu horário de serviço.

Em Nova York, a polícia e as forças de ordem bloquearam o tráfego por cinco quadras ao redor do local da explosão e dezenas de oficiais foram mobilizados neste domingo.

Um fotógrafo da AFP informou que havia muitos destroços, incluindo vidro e estilhaços, na rua 23, onde a explosão foi registrada.

Neste domingo, o chefe da polícia da cidade, James O'Neill, informou que até agora nenhuma pessoa ou grupo se declarou responsável pela explosão em Nova York.

"Ao menos até agora nenhuma pessoa ou grupo nos procurou para se declarar responsável", disse O'Neill, que assumiu na sexta-feira como novo chefe da polícia da cidade.

"Vamos descobrir quem colocou estas bombas e eles serão levados à justiça", declarou por sua vez o governador da cidade, Andrew Cuomo, a repórteres no local do ocorrido.

"Uma bomba explodindo em Nova York é, obviamente, um ato de terrorismo, mas não está ligado ao terrorismo internacional. Em outras palavras, não encontramos nenhuma conexão com ISIS, etc", disse Cuomo em referência ao EI, baseado no Iraque e Síria.

- Sem outras ameaças -"Mas a explosão de uma bomba é genericamente uma atividade terrorista. É assim que vamos considerá-la", acrescentou.

Mil policiais estaduais e integrantes da Guarda Nacional adicionais serão mobilizados em aeroportos, terminais de ônibus e estações de metrô para garantir aos nova-iorquinos que voltarem ao trabalho na segunda-feira que a cidade está segura e ativa, disse o governador.

"Não temos nenhuma razão para acreditar neste momento que haja qualquer outra ameaça imediata", disse Cuomo.

O governador salientou que, embora não exista nenhuma evidência de conexão com terrorismo internacional neste momento, a investigação ainda está no início.

Mais tarde, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou que "não sabemos a motivação, não sabemos a natureza disso". Não está claro se teve uma motivação política ou pessoal, explicou.

"Todas as teorias possíveis do que ocorreu aqui e como se conecta serão analisadas, mas no momento não temos nenhuma evidência específica neste ponto", afirmou.

A explosão em frente a um prédio na rua 23, entre a sexta e a sétima avenidas, causou danos significativos às propriedades, com vidro e estilhaços por toda parte, disse o governador Cuomo.

Enquanto os dois dispositivos colocados em Manhattan parecem ser similares, eles não guardam semelhanças com uma bomba que explodiu no estado vizinho de Nova Jersey no sábado, afirmou.

A explosão de Nova Jersey foi registrada no Parque Seaside durante uma corrida do Corpo de Fuzileiros Navais e não deixou feridos.

- Trump e Hillary reagem -Neste domingo, as 29 pessoas que ficaram feridas na explosão de Nova York deixaram o hospital.

"Todos os 29 feridos receberam alta e estas são ótimas notícias", declarou o responsável do Corpo de Bombeiros da cidade, Daniel Nigro, em uma coletiva de imprensa.

Testemunhas que vivem a três quarteirões de distância disseram à AFP ter ouvido uma grande explosão a partir de seu apartamento, no quinto andar, seguida pelo som de sirenes.

Nova York se orgulha de ser a mais segura das grandes cidades americanas. Os crimes violentos são raros em Manhattan e por toda parte são aplicadas normas de vigilância desde que em 2001 um ataque terrorista destruiu as Torres Gêmeas.

Qualquer ataque terrorista em Nova York teria um forte impacto na já muito disputada eleição presidencial de novembro.

"Eu gostaria de expressar meu caloroso abraço, melhores desejos e condolências a todas as famílias e vítimas da terrível explosão em Nova York", afirmou o candidato presidencial republicano, Donald Trump, neste domingo no Twitter.

No sábado, muito antes de as autoridades confirmaram a causa da explosão, Trump disse que havia sido uma bomba.

Sua rival democrata, Hillary Clinton, reagiu imediatamente às declarações de seu oponente, embora mais tarde também tenha utilizado a palavra "bomba" para se referir ao que havia acontecido em Nova York e Nova Jersey.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos