Retorno dos islamitas marca as eleições legislativas na Jordânia

Amã, 20 Set 2016 (AFP) - Os jordanianos comparecem às urnas nesta terça-feira para escolher um novo Parlamento, em eleições marcadas pelo retorno da Irmandade Muçulmana, principal força de oposição, ausente nas últimas duas disputas legislativas.

A votação começou às 7H00 locais (1H00 de Brasília) e deve prosseguir até 19H00 (13H00 de Brasília).

Quase 4,1 milhões de eleitores - de uma população de 6,6 milhões - devem escolher 130 deputados entre 1.252 candidatos.

A votação não provoca muito entusiasmo, já que o Parlamento jordaniano tem pouco poder e é tradicionalmente dominado por representantes das tribos leais à monarquia e empresários.

Analistas não preveem grandes mudanças no Parlamento.

As duas grandes incógnitas são a taxa de abstenção e o resultado da Frente de Ação Islâmica (FAI), partido da Irmandade Muçulmana, que pode obter 20 cadeiras no Parlamento e virar a principal força de oposição no Legislativo.

A FAI boicotou as eleições de 2010 e 2013, com direito a denúncias de fraudes e pedidos de reforma no sistema eleitoral.

Fragilizados pelas divisões e a repressão, os islamitas anunciaram em junho que disputariam o pleito, após uma reforma da lei eleitoral.

A nova legislação permite aos partidos apresentar listas e, assim, romper com o sistema de "voto único transferível", com o qual o eleitor escolhia vários candidatos por ordem de preferência.

O método beneficiava os candidatos das tribos.

Islamitas e partidos de esquerda, no entanto, consideram que a reforma é "insuficiente" e criticam o o poder limitado reservado ao Parlamento.

bur-ila/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos