Conselho de Segurança da Turquia prevê ampliação do estado de emergência

Istambul, 28 Set 2016 (AFP) - O Conselho Nacional de Segurança da Turquia, liderado pelo presidente Recep Tayyip Erdogan, avaliou nesta quarta-feira que o estado de emergência decretado por três meses em razão do fracassado golpe militar de 15 de julho deverá ser ampliado.

"Adotamos a decisão de recomendar que se amplie o estado de emergência para assegurar a defesa da nossa democracia, o respeito à lei, aos direitos e às liberdades dos nossos cidadãos de uma forma eficiente", declarou o organismo em um comunicado após a reunião celebrada no Palácio Presidencial em Ancara.

O estado de emergência permitiu ao governo realizar um expurgo sem precedentes, incluindo a prisão de 32 mil pessoas, segundo dados do ministério da Justiça.

Erdogan declarou o estado del emergência no dia 20 de julho, e na atual situação deveria terminar em meados de outubro.

No comunicado, as autoridades não especificaram por quanto tempo planejam prorrogar o regime de exceção.

Em declarações à TV turca, o ministro da Justiça, Bekir Bozdag, informou que "desde 15 de julho foram abertas investigações sobre cerca de 70 mil pessoas e em torno de 32 mil estão detidas".

"Poderão ocorrer outras detenções", advertiu o ministro, acrescentando que "algumas pessoas na prisão poderão ser libertadas sob controle judicial e outras estarão totalmente livres".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos