Papa se encontra com os católicos da Geórgia

  • Vincenzo Pinto/AFP

Tbilisi, 1 Out 2016 (AFP) - O papa Francisco levou um pouco de conforto à pequena comunidade católica da Geórgia em uma missa celebrada ao ar livre em um estádio de Tbilisi neste sábado, segundo dia de sua visita ao Cáucaso.

"O consolo que precisamos, em meio às vicissitudes turbulentas da vida, é a presença de Deus no coração", afirmou o pontífice no estádio Meskhi.

A comunidade católica, pequena na Geórgia, um dos países cristãos mais antigos do mundo, com forte presença dos ortodoxos (85%), se considera em alguns momentos marginalizada.

Dezenas de manifestantes se reuniram na sexta-feira (30) na entrada do aeroporto da capital georgiana para expressar oposição à visita do sumo pontífice ao país ortodoxo.

"Este dia é muito importante para os georgianos, independente de sua origem", disse à AFP Manana Itonishvili, de 56 anos, professora de história da arte.

"Vim para escutar a missa como ortodoxa e para expressar minha gratidão ao papa", completou.

A delegação oficial ortodoxa recusou, no entanto, o convite para participar na missa, um sinal da tensão entre as duas comunidades.

O papa Francisco agradeceu aos "fiéis" da Igreja ortodoxa presentes no estádio e não aos "representantes" desta igreja, como estava previsto a princípio.

"Estava claro desde o início que os representantes da Igreja (ortodoxa) da Geórgia não compareceriam à missa. Desde 1054 (data do cisma entre católicos e ortodoxos) não há liturgia comum entre as Igrejas católica e ortodoxa", disse à AFP a porta-voz da Igreja ortodoxa do país, Nato Asatiani.

"Mas é preciso destacar que esta visita do papa Francisco reforçará ainda mais as relações entre as duas Igrejas, acrescentou.

O patriarca da Igreja ortodoxa georgiana, Elias II, também afirmou na sexta-feira diante do papa Francisco que sua visita contribuirá para reforçar os laços entre as duas Igrejas cristãs.

Muitas pessoas afirmaram neste sábado esperar que a visita do pontífice ajude a levar paz à região.

Francisco não fez referência em sua homilia à situação no Cáucaso, mas na sexta-feira recordou diante do presidente georgiano Giorgi Margvelashvi a necessidade de uma "coexistência entre todos os povos e Estados da região, condição prévia indispensável para conseguir a paz e a estabilidade".

Quase 20% do território georgiano está sob controle russo desde a guerra relâmpago de agosto de 2008 neste pequeno país do Cáucaso.

Visitas

Após a missa, o papa visitou seminaristas e padres, assim como organizações de caridade católicas. Ele incentivou seu trabalho e prestou homenagem por sua simplicidade, a principal mensagem da Igreja, como recordou Francisco.

"Bem-aventurados os pastores que não apontam para a lógica do êxito mundano, e sim que seguem a lei do amor: a acolhida, a escuta e o serviço", disse Francisco em sua homilia.

Ainda neste sábado, o papa visitará Mtsketa, antiga capital da Geórgia, a 16 km de Tbilisi, onde visitará a catedral, centro espiritual da Igreja ortodoxa georgiana.

No domingo, Francisco viajará ao Azerbaijão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos