Jornalista americano libertado apresenta denúncia contra o Irã

Washington, 3 Out 2016 (AFP) - Um jornalista americano que esteve preso durante 18 meses no Irã apresentou nesta segunda-feira uma denúncia nos Estados Unidos contra o governo de Teerã, alegando que sua prisão tentava obter "concessões" de Washington com "extorsões".

A denúncia feita em uma corte federal pelo repórter Jason Rezaian, do Washington Post, e por sua família, busca uma compensação pelos danos causados pelo Irã contra ele como "crueldade, tortura e abuso" durante sua prisão, entre outras coisas.

A República Islâmica do Irã e o Exército dos Guardiões da Revolução são mencionados na denúncia "por danos físicos severos e outras feridas irreparáveis" sofridas devido a "atos ilícitos de terrorismo, tortura, tomada como refém" e outros tratos desumanos.

Rezaian é um dos quatro prisioneiros colocados em liberdade em janeiro no Irã, horas antes de as potências mundiais selarem um acordo com Teerã sobre seu programa nuclear como parte dos esforços para normalizar as relações.

Em resposta, os Estados Unidos perdoaram sete prisioneiros do Irã e encerraram acusações contra outras quatro pessoas do país.

A família está buscando a compensação sob uma lei de imunidade de soberania estrangeira, que geralmente não permite americanos acusarem governos estrangeiros por danos, mas abre exceções em casos de "terrorismo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos