Papa visita Amatrice, localidade devastada por terremoto

Cidade do Vaticano, 4 Out 2016 (AFP) - O papa Francisco fez uma viagem nesta terça-feira a Amatrice, pequena localidade italiana devastada por um terremoto em 24 de agosto, para rezar sozinho e em silêncio diante dos escombros pelos mortos e para consolar os sobreviventes.

O sumo pontífice havia anunciado a intenção de viajar a Amatrice poucos dias depois do terremoto que deixou quase 300 mortos, mas sem divulgar uma data.

O papa argentino, que adotou como pontífice o nome do santo de Assis, escolheu o dia de São Francisco, 4 de outubro, para levar pessoalmente uma mensagem de ânimo às vítimas do terremoto.

Como havia anunciado no domingo no avião ao retornar da viagem a Geórgia e Azerbaijão, esta é uma visita de "caráter privado", sem a companhia das autoridades nem da imprensa.

"Vou sozinho, como padre, bispo, papa. Mas sozinho. Quero que seja assim. E quero estar perto das pessoas", disse no voo aos jornalistas.

Francisco chegou em um pequeno automóvel particular a Amatrice às 9H10 locais e seguiu imediatamente para a escola provisória construída com material pré-fabricado, onde estudam mais de 100 alunos.

A escola da localidade, que havia sido construída recentemente, desabou no terremoto e virou um símbolo para os italianos da devastação e negligência.

"Estou aqui sozinho para afirmar que me sinto próximo a vocês. Nada mais. Proximidade e oração", disse.

O porta-voz do Vaticano, Greg Burke, divulgou no Twitter fotos do pontífice saudando os adolescentes e apertando a mão de um homem, visivelmente emocionado, que perdeu a mulher e os dois filhos no terremoto.

- Visita privada -"Desde o primeiro momento sentia a necessidade de vir, mas não que ria provocar problemas", disse.

"Aqui faleceram tantas pessoas nos escombros. Vamos rezar à Virgem por eles", pediu na "zona vermelha", fechada à população pelo risco de desabamento de várias casas parcialmente destruídas.

Em silêncio e diante da pilha de escombros, o papa rezou pelas vítimas, os feridos e as pessoas que perderam suas casas e bens.

"A presença do papa aqui é uma mensagem importante, porque nos traz a esperança", afirmou o prefeito de Amatrice, Sergio Pirozzi.

Durante a caminhada, Francisco teve a seu lado o prefeito, o arcebispo de Rieti, Domenico Pompili, e o pároco de Amatrice, Savino D'Amelio.

"Foi uma surpresa a visita do papa papa. Não sabíamos que viria hoje, ninguém avisou. Para nós, este é um momento do consolo espiritual", afirmou emocionado o padre idoso.

Francisco também visitou outras localidades afetadas pelo terremoto, entre elas Accumoli e Arquata del Tronto.

Antes de chegar à localidade, parou em Rieti, a capital da província, para cumprimentar 60 pessoas internadas em um hospital, muitas delas vítimas de ferimentos provocados pelo terremoto. Francisco também almoçou com os pacientes.

O papa também pretendia passar por Assis para rezar diante do túmulo do santo dos pobres e padroeiro da Itália.

O terremoto provocou prejuízos avaliados em quatro bilhões de euros, segundo o governo, que prometeu que as localidades afetadas serão totalmente reconstruídas.

Um total de 1.800 pessoas afetadas pela tragédia continuam morando em barracas ou abrigos da região, de acordo com Serviço de Proteção Civil.

bur-kv/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos