Rússia denuncia 'pressões' contra seus diplomatas nos EUA

Moscou, 4 Out 2016 (AFP) - O Ministério russo das Relações Exteriores denunciou nesta terça-feira (4) "pressões" contra seus diplomatas, que estariam sendo exercidas pelos serviços especiais de Washington, a quem acusou de tentar "recrutar" seus funcionários.

"A situação dos diplomatas russos nos Estados Unidos continua piorando", disse em um comunicado o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov.

O alto funcionário denunciou que, nos últimos dois anos e meio, as tentativas de Washington de recrutar seus funcionários como agentes de informação "se multiplicaram fortemente".

"Os serviços especiais americanos não poupam esforços ao recorrer às medidas de pressão mais miseráveis, inclusive até ameaçar com extorsão os familiares" dos diplomatas, afirmou Riabkov.

Ele denunciou ainda "travas artificiais" e "restrições inventadas", que "perturbam" o trabalho dos representantes da Rússia nos Estados Unidos.

Riabkov também acusou os Estados Unidos de realizar "intensas atividades de espionagem" na Rússia, "acobertadas" pelo trabalho diplomático.

As questões entre Moscou e Washington aumentaram desde que a Rússia anexou a Crimeia em 2014, piorando a situação no leste da Ucrânia entre Kiev e separatistas pró-Rússia.

A tensão entre ambos os países, que chega a níveis semelhantes aos da Guerra Fria, também se manifesta nas profundas divergências sobre como terminar o conflito sírio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos