Oposição: pressão externa ajudará na realização de referendo na Venezuela

Madri, 7 Out 2016 (AFP) - A pressão internacional pode ajudar que a Venezuela realize ainda em 2016 o referendo revogatório contra o presidente Nicolás Maduro, afirmou, em Madri, um dos porta-vozes da coalizão opositora, Carlos Teixeira.

Instituições como a Organização de Estados Americanos (OEA) ou o Parlamento Europeu "podem fazer suas parte neste caso para que se cumpra o que estabelece a Constituição venezuelana e para que o referendo revogatório seja realizado em 2016", insistiu.

"O governo Maduro deve sentir a pressão interna e a pressão externa", afirmou ainda o secretário-geral da Mesa de Unidade Democrática (MUD).

Tanto o secretário-geral da OEA, o uruguaio Luis Almagro, como o Parlamento Europeu demonstraram posições críticas em relação ao governo de Maduro.

No contexto de uma grave crise política e econômica, a oposição venezuelana promove a consulta, insistindo que deve ser feita antes de 10 de janeiro de 2017, já que, se o presidente for derrotado, serão convocadas eleições antecipadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos