Turquia diz que morte de dois suspeitos de terrorismo evita catástrofe

Ancara, 8 Out 2016 (AFP) - A morte de um homem e uma mulher que detonaram os explosivos que carregavam neste sábado perto de Ancara, quando a polícia tentava detê-los depois de receber informações sobre um possível atentado, "evitou uma grande catástrofe", segundo a Turquia.

Não se sabe as circunstâncias exatas da explosão, mas tudo parece indicar que os dois suicidas detonaram artefatos explosivos, talvez preparados para fabricar carros-bomba, estima a agência pró-governamental Anatolia, acrescentando que os dois morreram.

Às 03h00 GMT (00h00 de Brasília), a polícia entrou em uma fazenda de Haymana, a 50 km de Ancara, onde os dois suspeitos estavam escondidos em uma cabana, segundo o gabinete do governador.

"Pouco depois que as forças de segurança ordenaram que se entregassem, dois terroristas, um homem e uma mulher, detonaram seus explosivos", disse o gabinete.

O governador de Ancara, Ercan Topaca, considerou provável que os dois tivessem vínculos com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Os agentes os procuravam depois de receber uma informação da província curda de Diyarbakir (sudeste), informou.

"O material utilizado, a fabricação e a maneira como foi preparado se parece um pouco com a do PKK", declarou o governador, citado pela Anatolia.

O PKK - uma organização considerada terrorista por Turquia, União Europeia e Estados Unidos - realiza há 32 anos uma insurreição contra o Estado turco no sudeste do país para obter a independência.

Depois de um cessar-fogo de dois anos, a violência foi retomada em 2015. O conflito começou em 1984 e desde então deixou mais de 40.000 mortos.

- "Uma grande catástrofe foi evitada" -Um veículo foi encontrado no local dos incidentes com uma bandeira turca, e provavelmente seria usado como carro-bomba, segundo o governador.

"Uma grande catástrofe foi evitada. É provável que teriam atacado Ancara... Todos os indícios parecem acusar a organização terrorista PKK", declarou o ministro da Justiça, Bekir Bozdag, em uma entrevista à CNN-Turk.

O governador afirmou que o homem que detonou seus explosivos era proveniente de Bingol, uma cidade do leste da Turquia.

Os agentes encontraram um documento de identidade no local da explosão, disse o governador, segundo o qual uma terceira pessoa está sendo procurada.

Também foram apreendidos 200 quilos de nitrato de amônio, um material que pode ser usado para a fabricação de bombas, disse o gabinete do governador.

Na sexta-feira, um grupo radical próximo ao PKK, os Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK), reivindicou um atentado contra um posto policial em Istambul que deixou na véspera dez feridos.

Há um ano, em 10 de outubro de 2015, Ancara sofreu um atentado islamita que deixou 103 mortos. Nunca foi reivindicado, mas as autoridades atribuem sua autoria ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos