Uribe insiste em "reclusão" de 5 a 8 anos para guerrilheiros que cometeram "delitos atrozes"

Bogotá, 9 Out 2016 (AFP) - O ex-presidente da Colômbia Álvaro Uribe insistiu neste domingo que membros das Farc responsáveis por "delitos atrozes" devem pagar penas de "reclusão" de entre 5 e 8 anos, depois que o acordo de paz entre governo e guerrilha foi rejeitado nas urnas.

Ao publicar neste domingo suas preocupações e propostas sobre o acordo de paz, Uribe, o grande vencedor do referendo no qual há uma semana os colombianos disseram "Não" ao pacto com as Farc, disse que "a impunidade total aos maiores responsáveis por delitos atrozes" se transformará em "um mal exemplo" e gerador de "novas violências".

Por isso, em um documento publicado no Twitter e entitulado "Votamos Não, seguimos pela paz. Urgência e Paciência", o ex-presidente e atual senador diz que os guerrilheiros devem responder por seus crimes com "reclusão efetiva, pena privativa de liberdade, entre 5 e 8 anos, mesmo que seja em locais alternativos, granjas agrícolas".

"Os privilégios ao partido da Farc e a elegibilidade de responsáveis por delitos atrozes" é outra das preocupações levantadas por Uribe.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos