Presidente turco critica Hillary pela ideia de armar curdos

Ancara, 12 Out 2016 (AFP) - O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, considerou nesta quarta-feira que o plano apresentado pela candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, de armar as milícias curdas na Síria é "lamentável" e classificou a ideia como "politicamente inapta".

No domingo, durante o debate transmitido pela televisão entre a candidata democrata e o republicano Donald Trump, Hillary declarou que está considerando a possibilidade de entregar armas aos rebeldes curdos, que combatem na Síria os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI).

"Os curdos foram nossos melhores sócios na Síria, assim como no Iraque. Sou consciente de que há preocupação em alguns círculos", explicou Hillary durante o debate. "No entanto, acredito que eles deveriam ter o equipamento que precisam, já que os combatentes curdos e árabes constituem o principal caminho para retomar Raqa", reduto do EI na Síria, justificou a candidata.

Para Erdogan, esta declaração é "muito lamentável".

"Honestamente, considero que é inapta politicamente", disse o presidente turco em um discurso a partir do palácio presidencial de Ancara, que foi transmitido pela televisão.

O apoio que os Estados Unidos dão às milícias curdas que atuam na Síria tensionou as relações entre os membros da Otan.

Os Estados Unidos forneceram armamento aos árabes que combatem nas FDS (Forças Democráticas Sírias), a coalizão árabe-curda, na qual participam as Unidades de Proteção Popular (YPG), que Ancara considera um grupo terrorista, já que compara a um braço do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

fo-bat/at/an/age/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos