EUA prepara novos ataques no Iêmen mas evitará entrar na guerra

Washington, 13 Out 2016 (AFP) - O Pentágono se prepara para realizar novos ataques no Iêmen, após mísseis americanos atingirem nesta quinta-feira forças rebeldes xiitas huthis, mas não pretende entrar nesta guerra, declarou o porta-voz Peter Cook.

"Não buscamos um papel mais amplo neste conflito" no Iêmen, disse Cook, garantindo que as ações militares lançadas por Washington não são o prelúdio de uma nova campanha na região, onde os Estados Unidos já atuam - em diferentes graus - em conflitos no Afeganistão, Iraque, Líbia e Síria.

"Isto envolve a proteção do nosso pessoal, é periódico", destacou Cook.

As forças americanas lançaram no início do dia cinco mísseis de cruzeiro Tomahawk contra três posições de radares móveis no território do Iêmen controlado pelos huthis na costa do Mar Vermelho.

A ação foi uma represália aos mísseis lançados pelos rebeldes contra o destróier USS Mason, em duas ocasiões.

Os huthis negam o ataque contra o USS Mason.

Segundo o senador republicano John McCain, os mísseis foram "provavelmente" fornecidos pelo regime iraniano.

Um ex-funcionário da Defesa que pediu para não ser identificado informou que o ataque rebelde utilizou mísseis C-802 Silkworm com "ogivas penetrantes" de reação explosiva.

wat-lby/bfm/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos