Polêmica entre ONU e Rússia sobre bombardeios em Aleppo

Nações Unidas, Estados Unidos, 27 Out 2016 (AFP) - O embaixador russo junto à ONU criticou severamente nesta quarta-feira um alto funcionário das Nações Unidas que denunciou os bombardeios contra a zona leste da cidade síria de Aleppo como uma tática para remover os civis.

Ao citar os ataques aéreos russos sobre o leste de Aleppo no Conselho de Segurança, o chefe de Operações Humanitárias da ONU, Stephen O'Brien, declarou que "suas consequências sobre a população têm sido terrível" e denunciou a tática de expulsar os habitantes do leste da cidade.

"Os civis são bombardeados pelas forças sírias e russas e quando sobrevivem, morrem de fome". "Esta tática é tão evidente como inaceitável", disse O'Brien.

"Os aviões russos e sírios" lançam panfletos nos quais pedem aos habitantes que fujam imediatamente do leste de Aleppo se não quiserem ser exterminados".

O embaixador russo, Vitali Churkin, respondeu acusando O'Brien de fazer uma "declaração desonesta" e de ser "arrogante", acrescentando que deveria "escrever um romance".

Churkin reprovou O'Brien por não mencionar em seu relatório ao Conselho de Segurança os oito dias sem bombardeios em Aleppo, apesar do fim oficial da trégua.

A diplomata americana junto à ONU, Samantha Power, e seus colegas britânico e francês apoiaram O'Brien. "Não se pode esperar cumprimentos quando se permite cometer crimes de guerra durante um dia ou uma semana", ironizou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos