Adolescente palestino é condenado à prisão perpétua por matar israelense

Jerusalém, 2 Nov 2016 (AFP) - Um adolescente palestino foi condenado à prisão perpétua por um tribunal militar de Israel, nesta quarta-feira (2), pelo assassinato de uma israelense em janeiro passado, na Cisjordânia ocupada - informou o Exército.

"O tribunal militar da Judeia condenou à prisão perpétua e a pagar uma indenização de 750.000 shekuel (cerca de US$ 196 mil) o assassino de Dfana Meir, esfaqueada na [colônia de] Otniel em 17 de janeiro de 2016", relata um comunicado do Exército de Israel.

Dafna Meir, uma enfermeira de 38 anos, foi morta a facadas na presença de seus seis filhos na colônia de Otniel, na Cisjordânia ocupada. Sua morte comoveu o país.

"O Exército continuará julgando com a maior firmeza os autores de atos terroristas", continuou o texto.

O nome do condenado não foi divulgado, já que se trata de um menor de idade. O adolescente, que estaria na faixa dos 15 anos, foi detido pouco depois do ataque.

Em outubro de 2015, uma nova onda de violência explodiu nos Territórios Palestinos e em Israel, assim como em Jerusalém. Morreram 237 palestinos, 36 israelenses, dois americanos, um eritreu, um jordaniano e um sudanês, de acordo com balanço da AFP.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos