Camboja proíbe barriga de aluguel

Phnom Penh, 3 Nov 2016 (AFP) - O governo do Camboja proibiu o recurso das barrigas de aluguel, uma prática comercial que se desenvolveu muito rapidamente nos últimos meses no país, após ter sido vetada na vizinha Tailândia.

"A gestação para outra pessoa está absolutamente proibida", escreveu o Ministério da Saúde em uma nota enviada na semana passada às clínicas que oferecem este serviço.

O governo cambojano "trabalha sobre uma lei que permitirá proteger mulheres e crianças e evitar que sejam objeto de tráfico", disse o porta-voz do Ministério de Assuntos Femininos, Phon Puthborey.

O fechamento recente de várias clínicas na Tailândia e na Índia multiplicou a demanda no Camboja.

"É uma indústria que cresceu muito rápido em um país que não estava preparado para enfrentá-la, particularmente no que diz respeito aos serviços médicos", explicou à AFP o australiano Sam Everingham, fundador da Families Through Surrogacy, associação dedicada à maternidade por substituição.

A decisão "vai causar pânico entre os muitos pais que esperam (...) como já vimos na Tailândia", acrescentou, dizendo que hoje cinquenta clínicas oferecem tais serviços no país.

suy-ssm-tib/pt/nk/mb/db/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos