Exército dos EUA no Afeganistão admite que 'muito provavelmente' matou civis

Cabul, 5 Nov 2016 (AFP) - O Exército americano no Afeganistão reconheceu neste sábado que "muito provavelmente" matou civis durante bombardeios na última quinta-feira na província de Kunduz, onde ao menos 30 pessoas morreram.

A província foi palco de manifestações após o drama, e dezenas de familiares das vítimas se concentraram diante do escritório do governador, transportando os corpos das crianças mortas.

"O presidente afegão enviou uma delegação especial a Kunduz para investigar o incidente. Toda negligência será castigada", declarou à imprensa o porta-voz da Presidência, Haroon Chakhansuri.

Os primeiros indícios demonstram que o ataque aéreo "muito provavelmente causou vítimas civis", afirmou por sua parte o general Charles Cleveland, um dos chefes das forças americanas no Afeganistão, que havia anunciado imediatamente a abertura de uma investigação com as forças aéreas.

O bombardeio foi realizado a pedido das forças afegãs sobre o terreno, que na quinta-feira realizavam uma operação conjunta contra os talibãs na periferia da cidade de Kunduz, na província de mesmo nome.

Os afegãos sofreram um ataque dos insurgentes e pediram o apoio aéreo, em uma zona povoada.

O presidente Ashraf Ghani se declarou "muito triste" pelos mortos em Kunduz. Quinze anos depois do início da campanha da Otan no Afeganistão, a morte de civis constitui o pior problema para as tropas ocidentais.

emh-ac/fa/ib/pjl/jz/eg/pr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos