Alemanha abre investigação contra o Facebook por incitação ao ódio

Berlim, 7 Nov 2016 (AFP) - A justiça da Alemanha anunciou nesta segunda-feira a abertura de uma investigação por uma denúncia de "incitação ao ódio" contra o criador do Facebook Mark Zuckerberg por falta de cooperação de sua rede social contra os comentários racistas.

A investigação, que está em uma fase preliminar, pretende "examinar se é possível identificar uma atuação penalmente repreensível e se o direito alemão pode ser aplicado" neste caso, afirmou à AFP o porta-voz da Promotoria de Munique, Florian Weinziel.

A investigação foi iniciada para examinar o fundamento de um eventual processo judicial por "incitação ao ódio" após a apresentação de uma denúncia neste sentido por um advogado alemão da Baviera, região de Munique, Chan-jo Jun, contra Zuckerberg, explicou o porta-voz.

De acordo com o advogado, que recebeu com satisfação a iniciativa judicial, a investigação preliminar afeta Mark Zuckerberg e outros nove executivos do Facebook.

O governo alemão já advertiu em várias ocasiões o Facebook e outras redes sociais por sua excessiva tolerância em relação a usuários que expressam posições racistas ou antissemitas.

alf-ylf/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos