Casa Branca espera que Trump respeite tratados internacionais (AFP)

Washington, 14 Nov 2016 (AFP) - É possível esperar que os Estados Unidos respeitem os compromissos de defesa mútua assinados com seus aliados, mas um acordo comercial trans-Pacífico parece improvável, afirmou nesta segunda-feira a Conselheira de Segurança Nacional, Susan Rice.

Em seus primeiros comentários públicos após a surpreendente vitória eleitoral de Donald Trump, a principal conselheira do presidente Barack Obama em política externa, disse à AFP que o peso da Presidência provavelmente moderará as posições do presidente eleito.

Durante a campanha, Trump sugeriu que os parceiros dos Estados Unidos não cumpriam com seus compromissos e que, consequentemente, Washington não devia se sentir obrigado a defendê-los, despertando preocupação em países que têm confiado na proteção americana durante décadas.

Mas em entrevista exclusiva à AFP, realizada nove semanas antes de Trump assumir a Presidência, Rice tentou aquietar estas preocupações.

"É claramente de interesse dos Estados Unidos que estas alianças perdurem, que sejam uma fonte de confiança para nossos sócios e que eles compreendam que não precisam sair do guarda-chuvas dos Estados Unidos", afirmou.

Embora tenha ressaltado que não quer especular sobre a política externa de Trump, Rice tentou tranquilizar aliados-chave dos Estados Unidos na Otan e na bacia do Pacífico, no sentido de assegurar que não serão abandonados.

"O peso deste gabinete, o peso da liderança global dos Estados Unidos e as responsabilidades que estes implicam, e a história que compartilhamos, os interesses que existem, tornam razoável para nossos aliados e sócios esperar que os Estados Unidos respeitem suas obrigações", declarou.

Durante a campanha, Trump sugeriu - embora logo tenha se retratado - que a Coreia do Sul e o Japão poderiam construir suas próprias armas nucleares para dissuadir a Coreia do Norte, estimulando o espectro de uma corrida armamentista na Ásia.

Ele também criticou reiteradamente as potências europeias, às quais acusou de não contribuir o suficiente para a defesa coletiva através da Otan, deixando nervosos os países do flanco oriental da Aliança Atlântica, preocupados com a atitude da Rússia.

O TPP, um desafioPor outro lado, Rice admitiu que aprovar o controverso acordo comercial Trans-Pacífico agora é um "desafio", mas que continua sendo de interesse estratégico para os Estados Unidos.

O presidente Obama impulsionou o chamado Trans-Pacific Partnership (TPP), integrado por 12 países, mas Trump prometeu retirar-se dele, alegando que implicará uma perda de empregos nos Estados Unidos.

"O TPP é obviamente um desafio atualmente", disse Rice à AFP, advertindo que se não se chegar a um acordo, isto deixará um vácuo.

"O comércio não se deterá, continuará, seremos parte dele, mas não seremos tão capazes de estabelecer o marco que sirva aos nossos valores e aos nossos interesses", advertiu.

"Isso deixa um vácuo para que países como a China e outros ocupem, algo que não é do nosso interesse", afirmou.

Depois de uma estridente campanha presidencial anti-China de Trump, Rice defendeu a política do governo Obama de equilibrar as relações com a Ásia e seu compromisso com Pequim.

"Há realmente um valor nisso. Primeiramente, mais compromisso com a China, mais diplomacia, mais canais e discussões multifacetadas e frequentes, embora nem sempre isto pode significar progresso", disse a conselheira de Obama na entrevista com a AFP.

Trump ameaçou reiteradamente durante sua campanha iniciar uma guerra comercial com a China, país ao qual acusa de ser um inimigo dos Estados Unidos.

O presidente eleito se concentrava nesta segunda-feira na escolha de postos-chave de seu futuro governo, mas já causou polêmica com a nomeação de uma personalidade da extrema-direita como principal assessor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos