Chefe do Pentágono recomenda a países da Otan dialogar com equipe de Trump

Washington, 14 Nov 2016 (AFP) - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, recomendou nesta segunda-feira aos países da Otan, inquietos com a chegada de Donald Trump à Casa Branca, dialogar com a nova administração para defender o que foi conquistado pela aliança atlântica.

As declarações de Trump durante sua campanha sobre impor condições aos compromissos americanos com a Otan causaram indignação na Europa.

Interrogado sobre a mensagem de Trump a estes países inquietos, o atual chefe do Pentágono respondeu que não tem "nenhum mandato para falar em nome da futura administração".

"A única coisa que direi" aos países europeus "é que conversem com a nova administração", disse Carter na manhã de segunda-feira durante coletiva em Washington ante jovens que querem ser empresários.

"Trabalhem com ela, mantenham-se comprometidos com os valores e princípios nos quais nos baseamos", acrescentou.

"Podemos nos proteger muito melhor se trabalhamos juntos", informou Carter, um firme defensor da Otan.

Independentemente da administração que governe, Washington considera que os países europeus se apoiam demais nos Estados Unidos para garantir a segurança coletiva e propõe há anos que aumentem sua capacidade militar.

Muitos países europeus continuam gastando menos de 2% do PIB na defesa.

Enquanto isso, os Estados Unidos gastam com defesa 3,3% de seu PIB e contribuem com cerca de 70% do orçamento da Otan.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos