Congressistas pedem a Obama indulto a jovens imigrantes antes de governo Trump

Washington, 17 Nov 2016 (AFP) - Um grupo congressistas americanos do partido Democrata pediram nesta quinta-feira ao presidente Barack Obama um indulto para aproximadamente 740.000 imigrantes sem documentos, temporariamente protegidos, em um sinal do crescente temor de que sejam deportados pelo próximo governo de Donald Trump.

"O presidente tem uma responsabilidade, ele ofereceu-lhes este caminho, pediu-lhes que tivessem confiança e fé no governo. É o momento de o presidente atuar", disse o legislador de origem porto-riquenha Luis Gutiérrez.

Gutiérrez e outras duas legisladoras democratas da Câmara dos Representantes pedem a Obama que "exerça sua autoridade constitucional de dar o perdão aos 'dreamers' (sonhadores), tanto de maneira retroativa como prospectiva".

Na mensagem de uma página, os congressistas Zoe Lofgren, Luis Gutiérrez e Lucille Roybal-Allard pedem que Obama atue com urgência, antes que deixe o poder em 20 de janeiro de 2017.

"Confiamos que levará em consideração nossa petição com a maior urgência devido à gravidade da situação", assinalaram, solicitando ao presidente que assine os indultos durante o recesso do Dia de Ação de Graças, na semana que vem.

Cerca de 740.000 jovens imigrantes sem documentos estão protegidos de serem deportados por estarem inscritos no programa Daca, criado por Obama.

A ação executiva do presidente americano outorgou a esses "sonhadores", como são chamados, e a suas famílias uma permissão de trabalho e uma prorrogação da deportação, habilitando-os a se matricular na escola e na universidade, a se formar e a conseguir um emprego.

Trump, que ganhou a presidência com uma campanha contra a imigração clandestina, prometeu acabar com o Daca e, para isso, precisa apenas de sua assinatura.

Mas não poderia rever um indulto de seu antecessor, afirmaram os congressistas citando precedentes legais.

Uma fonte da Casa Branca não comentou sobre a possibilidade de indultar os jovens em situação ilegal, afirmado somente que os casos específicos não se discutem publicamente.

A fonte ressaltou, contudo, que a autoridade do presidente para conceder indultos só se estende a indivíduos que vivem legalmente no país.

"O poder de clemência não poderia outorgar status legal a nenhum indivíduo sem documento", acrescentou a fonte, lembrando que o Congresso é o único com poder para outorgar regularizações migratórias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos