COP22: Fiji pede ajuda aos EUA para se salvar, 'como na II Guerra'

Marrakesh, Morocco, 18 Nov 2016 (AFP) - O primeiro-ministro de Fiji, Frank Bainimarama, pediu nesta sexta-feira, durante a Conferência do Clima da ONU em Marrakech (COP22), aos Estados Unidos que ajudem esse pequeno Estado insular a se salvar das mudanças climáticas, assim como o salvaram da Segunda Guerra Mundial.

"Nós no Pacífico, como o resto do mundo, olhamos para os Estados Unidos pela sua liderança e seu compromisso", disse o primeiro-ministro durante a sessão plenária final da COP22.

"Da mesma maneira que olhamos para os Estados Unidos durante os dias escuros da Segunda Guerra Mundial (...) digo ao povo americano: 'vocês nos salvaram então, agora é tempo de nos ajudar a nos salvarmos" das mudanças climáticas, disse o primeiro-ministro.

Fiji, um arquipélago ameaçado pela subida do nível do Oceano Pacífico, é parte do grupo de países mais vulneráveis aos efeitos do aquecimento global.

Nesta sexta, as Ilhas Fiji anunciaram que seriam os organizadores da COP23, no final de 2017.

No entanto, por razões logísticas, a cúpula será realizada excepcionalmente em Bona (Alemanha), que abriga a sede da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC).

mlr-jz/eg/db/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos