Bolivia torna públicos documentos sobre ditaduras militares

La Paz, 22 Nov 2016 (AFP) - A chancelaria da Bolívia tornou públicos documentos oficiais correspondentes às ditaduras militares sul-americanas entre 1966 e 1979, e os colocou à disposição dos interessados, a fim de recuperar a memória histórica, afirmou em comunicado difundidon esta terça-feira.

"Os documentos aos quais se terá acesso permitirão revelar a verdade sobre as ações diplomáticas e oferecer dados para poder exercer a justiça", afirma o texto.

O chanceler David Choquehuanca assinalou - segundo o documento - que "queremos revelar a verdade das ações dos diplomatas da ocasião".

"Temos a obrigação frente às futuras gerações que a verdade seja conhecida para que saibam como foram estes tempos da ditadura", acrescentou.

A decisão de revelar os documentos foi anunciada em junho por Choquehuanca.

Nos anos em questão, houve uma ativa colaboração entre os governos militares do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai para combater os movimentos políticos de esquerda e sindicatos opositores, uma operação conhecida como Plano Condor.

Durante essos anos, milhares de opositores foram mortos, desapareceram, foram presos ou exilados, sem que se tenha um número oficial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos