Rabino israelense é condenado a 18 meses de prisão por agressões sexuais

Jerusalém, 22 Nov 2016 (AFP) - Um rabino israelense, líder de um grupo judeu que esteve foragido por meses em vários países, foi condenado nesta terça-feira a 18 meses de prisão por agressões sexuais contra três mulheres, informou a justiça israelense.

O rabino Eliezer Berland foi considerado culpado de gestos de natureza sexual, de ter beijado e se esfregado nas vítimas contra a sua vontade, segundo o ministério da Justiça.

Tendo negado as acusações durante vários meses, Berland aceitou sua culpa em troca de uma sentença limitada a 18 meses de prisão, quando era passível de uma pena mais severa.

Eliezer Berland, de 78 anos, é o líder espiritual de um grupo judeu hassídico, uma das duas grandes correntes de judeus ultra-ortodoxos que respeitam estritamente as leis judaicas em todos os aspectos da vida diária.

Berland fugiu de Israel em 2013 depois de ser denunciado por várias de suas vítimas e muitos dos fiéis, convencidos de sua inocência, decidiram segui-lo em sua fuga ao redor do mundo, que o levou ao Marrocos, África do Sul, Zimbabwe e Holanda.

Ele foi finalmente preso em Joanesburgo, onde foi extraditado para Israel em julho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos