Incidentes em campo de refugiados na Bulgária deixam 26 feridos e 300 detidos

Em Sófia (Bulgária)

Vários incidentes na quinta-feira (24) em um campo de refugiados na Bulgária terminaram com 26 feridos e 300 detidos, após um dia tenso que começou com protestos, depois que as autoridades fecharam o campo para impedir a propagação de uma epidemia de sarna.

"A revolta foi sufocada", declarou o primeiro-ministro Boiko Borissov à rádio pública BNR, após uma visita ao centro de Harmanli durante a madrugada.

"Quase 300 migrantes, incluindo seis considerados perigosos para a segurança nacional, foram detidos", completou.

Na quinta-feira, a polícia utilizou balas de borracha e jatos de água para dispersar os migrantes, que jogavam pedras contra os agentes para tentar sair do acampamento, onde estão confinados há três dias.

As autoridades afirmam que a proibição de saída foi decidida para deter um princípio de epidemia de sarna, mas os exames médicos só devem começar na segunda-feira.

Durante a quinta-feira, a tensão no acampamento, onde vivem quase 3.000 migrantes, aumentou, depois que vários deles tentaram sair do local.

Os incidentes acontecem em um momento de tensão crescente na Bulgária e na Grécia, após o reforço dos controles nas fronteira para os migrantes que tentam chegar ao oeste da Europa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos