Partidários de Trump se mobilizam contra recontagem de votos

Chicago, 2 dez 2016 (AFP) - Um alto funcionário de Michigan e partidários do presidente eleito Donald Trump no Wisconsin se mobilizaram nesta sexta-feira contra os pedidos de recontagem de votos nestes estados-chave do Meio Oeste americano.

Trump venceu nos dois Estados por pequena margem sobre a democrata Hillary Clinton: em Michigan obteve uma vantagem de 10.700 votos e no Wisconsin, de 27.000.

A candidata do Partido Verde, Jill Stein, pediu a recontagem dos votos nos dois estados, que historicamente têm apoiado o Partido Democrata.

Stein obteve 1% dos votos em ambos os Estados.

O procurador-geral de Michigan, Bill Schuette, apresentou uma ação para suspender a recontagem em seu estado alegando que Stein recebeu menos votos que os requeridos para realizar uma nova apuração.

"Os eleitores de Michigan rejeitaram a candidatura de Stein por uma grande margem, mas ela se nega a aceitar que a revisão do resultado supõe uma custosa e grande ameaça aos contribuintes e viola a legislação de Michigan".

No Wisconsin, o eleitor Ronald R. Johnson e dois comitês de ação política ligados a Trump pediram a suspensão de uma recontagem iniciada na véspera.

"Não há perspectivas de que esta recontagem mude o resultado das eleições a favor de Stein", destacam os documentos apresentados.

Stein afirma que a pequena diferença de votos entre Trump e Clinton obriga à recontagem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos