Presidente filipino diz que Trump elogiou sua política antidrogas

Manila, 3 dez 2016 (AFP) - O presidente filipino, Rodrigo Duterte, que conversou por telefone com Donald Trump, disse neste sábado que o presidente eleito americano elogiou sua política antidrogas.

Em contraste com as críticas que recebe do presidente Barack Obama, Duterte afirmou que Trump desejou a ele "muito sucesso" em sua controversa campanha antidrogas, que deixou 4.800 mortos desde junho.

O presidente filipino, de 71 anos, contou que telefonou para Trump na noite de sexta-feira para felicitá-lo por sua vitória.

"Ele esteve muito atento a nossa preocupação pelas drogas. Me deseja sucesso em minha campanha e diz que estamos fazendo isso como uma nação soberana, da forma apropriada", disse Duterte.

O dirigente lidera uma implacável guerra contra as drogas que gera críticas no Ocidente. Em setembro, Obama pediu que o presidente filipino desenvolvesse uma política antidrogas "apropriada".

O gabinete de Trump publicou um comunicado indicando que Duterte o parabenizou e que ambos disseram querer trabalhar juntos estreitamente.

Duterte foi eleito em maio passado depois de prometer em sua campanha matar dezenas de milhares de narcotraficantes, garantindo que é a única forma de evitar que as Filipinas se convertam em um narco-Estado.

Desde sua chegada ao poder, encorajou a polícia e a população civil a matar os viciados em drogas e comparou sua campanha com a de Hitler para exterminar os judeus na Europa.

"Hitler massacrou três milhões de judeus. Pois há três milhões de drogados nas Filipinas. Ficarei feliz em massacrá-los", declarou em um discurso.

"Mas gostaria que minhas vítimas fossem [sic] todas criminosas para acabar com o problema de meu país e salvar a próxima geração da perdição", disse ainda.

Em outubro, Duterte anunciou uma ruptura com os Estados Unidos e pediu a retirada das tropas americanas estacionadas em seu país, colocando em xeque 70 anos de relações entre Manila e Washington.

No entanto, após sua conversa com o futuro hóspede da Casa Branca, o presidente asiático disse que "pressentia uma boa relação" com o "animado" Trump.

O porta-voz de Duterte disse que o "entendimento" entre os dois líderes sinalizou melhores ligações entre as Filipinas e os Estados Unidos.

"Podemos dizer nesta fase que nossa relação com os Estados Unidos está melhorando", disse Ernesto Abella.

Imagens divulgadas pelo gabinete de Duterte mostraram o líder filipino rindo enquanto falava no telefone. Posteriormente, disse que Trump "será um bom presidente para os Estados Unidos".

Duterte afirmou que o presidente eleito o convidou a visitar Nova York e Washington, e que ele, por sua vez, convidou Trump a participar de uma cúpula regional marcada para 2017 nas Filipinas. "Se eu estiver por perto, ele quer ser avisado da minha presença", disse o presidente filipino.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos