Força-tarefa da Lava-Jato ganha prêmio Transparência Internacional

Panamá, 4 dez 2016 (AFP) - A força-tarefa responsável pela Operação Lava-Jato foi homenageada no sábado com o prêmio anual da Transparência Internacional (TI), anunciou a organização anticorrupção.

"A Transparência Internacional anuncia hoje, orgulhosamente, que a equipe de investigação brasileira foi selecionada como vencedora do prêmio anticorrupção 2016", diz um comunicado divulgado pela TI.

"A Operação Lava-Jato começou como uma investigação local de lavagem de dinheiro e cresceu até se tornar a maior investigação até a data, com prisões e corrupção estatal no Brasil", diz a nota.

A Transparência Internacional realiza no Panamá a 17ª Conferência Anticorrupção, onde vários dos premiados reiteraram seu temor de que as investigações sejam interrompidas por mudanças na legislação brasileira.

A última tentativa ocorreu na quarta-feira, quando a Câmara dos Deputados aprovou em plenário de madrugada uma iniciativa que permite acusar juízes, procuradores e promotores de abuso de autoridade.

Para os membros do judiciário, este projeto representa "o começo do fim da Lava Jato".

Ironicamente, o projeto de lei que obteve meia sanção na quarta-feira surgiu de uma iniciativa dos próprios promotores e contou com o apoio de mais de dois milhões de assinaturas.

Mas os deputados alteraram drasticamente seu conteúdo e adicionaram uma emenda que permite acusar procuradores e juízes de abuso de autoridade.

Os procuradores consideraram que se trata de uma "lei de intimidação", elaborada por um corpo que tem, entre seus membros, dezenas de suspeitos de corrupção e muitos deles sob o foco da Lava-Jato.

"Se não tivéssemos andado de mãos dadas, nunca teríamos chegado tão longe", disse Deltan Dallagnon, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato, ao receber o prêmio durante uma cerimônia no Panamá.

Dallagnon, que horas antes havia dito que os legisladores brasileiros "usam seu poder para se proteger", dedicou o prêmio a "todos os brasileiros que se sentem impotentes contra a corrupção".

Até o momento, há ao menos meia centena de legisladores investigados por este caso.

Para a Transparência Internacional, a rede de corrupção ventilada na Petrobras "é um dos maiores escândalos de corrupção do mundo", e obteve "duras sentenças contra alguns integrantes poderosos das elites econômica e política do Brasil".

Até agora, foram pronunciadas sentenças contra 118 pessoas, condenadas a um total de 1.256 anos de prisão, diz a nota.

"No Brasil, foram perdidos bilhões de dólares devido à corrupção, e os brasileiros já toleraram muito este fenômeno que devasta seu país. A equipe de trabalho da Lava-Jato está fazendo um trabalho excelente", assinala na nota da TI a presidente do Comitê de Prêmios contra a Corrupção da organização, Mercedes de Freitas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos